Veja o que é necessário para comprovar renda na compra de um imóvel

0

A comprovação de renda é uma etapa fundamental para quem tem interesse em comprar um imóvel financiado, pois é a documentação que vai definir o valor do crédito a ser obtido e, portanto, a faixa de preço do bem a ser adquirido.

Confira algumas dicas que podem ajudar você a tornar o processo mais ágil e simples.

Como é feita a comprovação de renda no momento da compra?

A comprovação geralmente é realizada de maneira formal a partir da apresentação de documentos que confirmem a renda declarada. Por isso, é importante que todos os dados fornecidos estejam de acordo com a sua realidade financeira, evitando assim qualquer tipo de divergência.

Em grande parte dos casos, os comprovantes são solicitados após a finalização das obras, pois a documentação que será entregue para análise de crédito estará atualizada, representando fielmente o poder aquisitivo do cliente no momento da compra.

 Documentos necessários

Os documentos podem variar de banco para banco, mas na maior parte dos casos as exigências são:

Para trabalhadores contratados em regime CLT, funcionários públicos e aposentados:

  • Holerite ou contracheques, declaração do imposto de renda e extrato da aposentadoria.

Para trabalhadores autônomos:

  • Extrato da conta bancária dos últimos 6 meses.
  • Recibo de Pagamento de Autônomo (RPA) ou DECORE.
  • MEI.

A composição de renda pode ser feita por mais de uma pessoa?

É comum os bancos aceitarem a composição de renda do cônjuge, incluindo os casos de união estável, noivos ou namorados. Na Caixa Econômica Federal, por exemplo, não há limite de pessoas, nem exigência de grau de parentesco. Como a análise é feita caso a caso, verifique sempre com a sua instituição financeira.

Para não ter problemas no momento de comprovar a renda

  • Evite fazer novas dívidas. A compra de um carro, por exemplo, vai comprometer a sua renda e pode influenciar na hora de passar pela análise de crédito e, consequentemente, na liberação do financiamento;
  • Quando o momento do repasse (quando é feito o contrato de financiamento com o banco) estiver se aproximando, evite trocar de emprego. As instituições bancárias consideram que existe instabilidade durante o período de experiência;
  • Faça uma compra consciente: as parcelas do financiamento comprometem até 30% da renda;
  • Reúna as documentações de remunerações extras – como aluguéis e trabalhos temporários – ou esporádicas, como bônus, participação nos lucros e resultados da empresa em que trabalha etc. Todo documento válido para incrementar sua renda pode ser considerado para aumentar seu potencial de financiamento.

Sobre o autor

Avatar

Desde 1964 construindo uma trajetória de qualidade e solidez.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: