Entenda as diferenças entre o financiamento bancário e com a construtora

0

A compra de um apartamento significa a realização de um sonho, por isso é fundamental escolher uma forma de pagamento adequada para você. As mais comuns são o financiamento bancário e o direto com a construtora.

Mas você sabe qual é a diferença entre essas modalidades? Veja agora.

Financiamento Bancário

É uma linha de crédito concedida pelo banco para a compra de um imóvel – podendo ser tanto novo quanto usado.

Geralmente, o banco financia de 75% a 80% do imóvel, mas pode variar dependendo do relacionamento que o cliente possui com a instituição financeira.

Vantagens

A principal é a possiblidade de usar o FGTS para fazer o pagamento.

Além disso, em comparação com o financiamento direto, as taxas de juros e o índice de correção monetária são mais acessíveis. Hoje estão em torno de 9% ao mês.

Desvantagens

É um processo mais burocrático, pois para obter a aprovação existe uma análise de crédito rigorosa.

Fatores como parcelamento da fatura do cartão de crédito, outros empréstimos e renegociação de dívidas podem inviabilizar a liberação do financiamento imobiliário.

O seu score também é levado em consideração. Se a pontuação é menor que 700, o banco não aprova o crédito. Para saber mais sobre esse assunto, acesse a matéria Como melhorar o score e conseguir boas condições de financiamento.

Dica

Para saber quais são as condições mais atrativas, comece consultando o banco que você tem relacionamento, depois verifique as demais opções.

Também é interessante solicitar a operação de crédito para a instituição que financia a obra do empreendimento. Isso diminui burocracias como precisar reunir toda a documentação desse empreendimento e levar até a agência, uma vez que já está disponível nesse banco.

Financiamento com a construtora

É a modalidade em que o pagamento é feito direto para a construtora, sem o auxílio de um banco na negociação.

Diferente do anterior, só é realizado para comprar imóveis novos.

Vantagens

Sua principal característica é a flexibilidade, já que não depende de uma instituição financeira para intermediar a operação.

Desvantagens

A utilização do FGTS só é permitida na quitação, mediante escritura definitiva do imóvel. Porém é importante consultar sua construtora, pois as condições podem variar.

Os juros também devem ser levados em consideração. Nesse tipo de financiamento, eles oscilam entre 8 e 12% ao mês e são somados ao IGP-M (Índice Geral de Preços).

Liberação de crédito e entrega das chaves

É importante ressaltar que as duas opções de financiamento estão sujeitas à análise para aprovar o crédito.

Já o procedimento de entrega das chaves varia de acordo com a modalidade.

No financiamento bancário a liberação pode ocorrer quando o banco libera o crédito para a construtora.

No financiamento direto você pode retirá-las após entregar a assinatura da escritura de alienação fiduciária e seu devido registro para a construtora.

Lembre-se: antes de definir a melhor opção para você, faça um planejamento financeiro e consulte especialistas no assunto que vão ajudá-lo a atingir seu objetivo. Assim vai ser possível fazer uma escolha segura e consciente.

Sobre o autor

Avatar

Desde 1964 construindo uma trajetória de qualidade e solidez.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: