Taxa Selic cai para 5% e atinge nível histórico

0

O Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) anunciou esta semana que a Selic (taxa básica de juros) caiu para seu menor patamar em 20 anos, 5%, e tudo indica que pode chegar a 4%.

Veja como a novidade impacta nas operações de crédito.

Juros do financiamento imobiliário é reduzido para 6,75% ao ano

A Caixa Econômica Federal reduziu a taxa mínima dos juros do financiamento para comprar imóveis de 7,5% para 6,75% ao ano.

Agora para imóveis financiados no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) a taxa mínima será de 6,75% ao ano + TR e a máxima de 8,5% ao ano + TR.

As condições são válidas para novos contratos a partir de 6 de novembro.

Mas afinal, quanto você vai economizar?

Uma queda de 0,75% pode parecer pouco, mas o impacto em um financiamento de longo prazo – como o imobiliário – é enorme. Uma taxa de juros baixa reduz além do valor das parcelas, a renda mínima para conseguir um financiamento.

Por exemplo, veja o caso de um financiamento de R$ 400 mil em 30 anos, usando a nova taxa de 6,75% ao ano + TR (que hoje é zero), o comprador deixaria de pagar R$ 42 mil, se comparado ao mesmo valor de financiamento com os juros anterior de 7,5%.

Juros baixos favorecem investimentos, crédito e uso do FGTS

Essas quedas – tanto na Selic quanto nos juros do financiamento – podem ser o combustível que faltava para incentivar a geração de empregos, a confiança do consumidor e o aquecimento do mercado imobiliário.

Além disso, a possibilidade de usar o FGTS na aquisição de apartamentos prontos é mais uma situação benéfica para o comprador.

Preços dos imóveis novos caíram em setembro

Segundo dados divulgados pela pesquisa FipeZap, o preço dos imóveis residenciais em setembro caiu 0,15% em relação ao mês anterior. Já no acumulado do ano, os valores subiram, mas abaixo da inflação.

Em contra partida, o aluguel segue em alta – superando pela primeira vez em dois anos a inflação.

De acordo com o Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo), de outubro de 2018 a setembro de 2019 houve aumento de 5,32%, enquanto o IGP-M – índice medido pela FGV e utilizado para reajustar os valores – ficou em 3,38%.

Vale a pena fazer as contas e botar no papel seus gastos com aluguel em comparação com as parcelas de um financiamento imobiliário, já que hoje o cenário está favorável para comprar um apartamento.

Os juros mais baixos da história do país, os preços dos imóveis caindo e o aluguel subindo indicam que esse é o melhor momento para adquirir um imóvel novo. Então aproveite, confira algumas oportunidades, ou entre em contato com um corretor e solicite uma simulação.

Fontes: G1 e O Estado São Paulo.

Sobre o autor

Avatar

Desde 1964 construindo uma trajetória de qualidade e solidez.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: