Caixa reduz juros do financiamento e permite pagamento parcial das prestações

0

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou, em entrevista coletiva ontem, 14 de outubro, novas medidas para incentivar o mercado imobiliário brasileiro.

Crédito imobiliário a 6,25% + TR

Entre as medidas está a redução da taxa de juros nos empréstimos que têm recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e são baseados na taxa referencial (TR).

A taxa mínima caiu para TR + 6,25% ao ano e a máxima para TR mais 8% ao ano. Vale ressaltar que hoje a TR está zerada. As novas condições estarão disponíveis a partir de 22 de outubro.

O que significa em números essa queda?

O presidente da Caixa exemplificou durante a coletiva como as novas taxas podem impactar nas parcelas do financiamento.

Para um financiamento de R$200 mil em 360 meses, a parcela inicial seria, em dezembro de 2018, com taxa de 8,75%a.a. + TR, R$1.958.  

Hoje, com a nova taxa de 6,25%a.a. + TR, ficaria 25% mais baixa- R$1.568.

Leia também:

Itaú reduz taxa de juros e amplia crédito para até 90% do valor do imóvel

6 meses para começar a pagar

A Caixa também vai prorrogar até o fim do ano a possibilidade de carência para início do pagamento das parcelas dos novos contratos imobiliários.

Na aquisição de imóveis novos, para os clientes pessoas físicas, o pagamento do encargo mensal, composto de juros e amortização, incidirá após seis meses da contratação.

Pagamento parcial da parcela

O banco vai também permitir o pagamento parcial da prestação para mutuários que apresentarem dificuldade para retomar o pagamento integral da prestação habitacional.

Nesse caso, conforme o perfil, o cliente poderá pagar 75% da prestação, por até seis meses, ou entre 50% a 75% da prestação, por até três meses. A Caixa informou também que oferecerá a partir de 19 de outubro o crédito habitacional 100% digital.

“Mercado imobiliário é menos impactado pela pandemia”

Pedro Guimarães ressaltou que o mercado imobiliário foi um dos menos impactados pela crise mundial e um dos motivos foi a redução da taxa de juros.

“Depois do segmento agrícola e agropecuário, o mercado imobiliário foi o que menos sofreu com a pandemia. Foi o primeiro a ter uma retomada de contratação já em julho”, destacou o presidente da Caixa, que neste mês de outubro atingiu a marca de R$500 bilhões de carteira de crédito imobiliário com 5,6 milhões de contratos.

Momento ideal para comprar um imóvel

O anúncio da Caixa vem em um momento em que há recuperação do mercado e implementações de outras medidas de incentivo por outras instituições financeiras.

O Itaú, por exemplo, reduziu as taxas de juros e aumentou a porcentagem de financiamento em até 90% do valor do imóvel.

“Maior boom imobiliário que o Brasil já viu”

Para o economista Ricardo Amorim a facilidade de acesso ao crédito imobiliário, a queda das taxas de juros e o consequente aumento do poder de compra da população, somado à baixa rentabilidade dos investimentos de renda fixa, farão com que o país passe pelo o que chamou de “o maior boom imobiliário que o Brasil já viu”.

Leia também:

Com aluguel em alta e juros em queda, compra de imóveis bate recorde

5 Motivos para comprar um imóvel na pandemia

Pandemia cria novas necessidades e valoriza mercado residencial

Sobre o autor

Avatar

Desde 1964 construindo uma trajetória de qualidade e solidez.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: